Tópicos

sexta-feira, 26 de novembro de 2010


PEQUENAS GRANDES PÉROLAS


* * * * * * *
NÃO RIO


Tantas balas achadas
entre os corpos perdidos
tensão nos fios do pensar
- não rio nem choro; pavor -

O vermelho tinge a tela
escorrendo pelas ruas
apavorados passos
presos em sítio absurdo

Asas metálicas voam baixo
armas gritam canto fúnebre
casas brancas abarrotadas
decoradas com tinta carmim

Tantos braços cruzados
inércia diante dos fatos
relatos de uma era prevista
caos instaurado; prenúncio
de um fim no ponto final.

(Lena Ferreira)


* * * * * * *
SÓ PALAVRAS?


Comovo-me com palavras dita assim
transparentes, suaves em toque interno
a despertar sentimento intenso e terno
de admiração pelo ser; princípio e fim.

Cada letra, sinto como carícia na alma
fala mansa, sussuro aos meus ouvidos
que avivam em mim todos os sentidos
deixando-me mais serena, mais calma.

Alucinam-me palavras dúbias, brutas
provocativas, quase alcançam o intento
razão alerta a alma; quando as escuta
é simples; deixa-as irem com o vento.

Palavras não são palavras apenas; não!
cada qual atiça um tipo de sentimento
importa é dar a cada uma a dimensão
exata, para evitarmos constrangimento.

(Lena Ferreira)


* * * * * *
Ser vidro

Cansa-me em absoluto tal pessoa
Sentimental, por sua conveniência
Mas a sua palavra sempre magoa
E disfarça, com cabal inocência..

Pronuncia o verbo com maldade
Sem se valer do nosso sentimento
Além disso, fala da nossa amizade
Como se houvesse um juramento.

Se revidarmos, se faz de agredida
Desfragmenta poe se a despedaçar
Finge, ludibria e se sente partida.

Sempre perfeita e correta a tudo
E ainda tenta nos fazer culpados
Ser vidro: ternos e dissimulados!

ღRaquel Ordonesღ


* * * * *

(CLIQUE NA IMAGEM)


* * * * *
SENTIR

A terra viverá em harmonia
Quando houverem sons correndo o ar
E quando nossa estrela se apagar
A dissonância será fogo a se alastrar

Qual fogo vivo como um cometa de cor
Toda criança viverá dentro de nós
E a amizade o carinho e o perdão
Serão vitórias conquistadas pelo amor

Por esse amor já valerá a pena
Toda mudança em um mundo sem fronteiras
DEUS sorrirá espargindo a alegria
E a vida então; será uma vida por inteiro!

NICE CANINI


* * * * *

Suspiro sim.
Não nego que suspiro por você.
Que sonho contigo sim.
Não nego que sonho com você.

E se meu coração bate acelerado
A culpa é sua.
E se minha barriga sente arrepio
Você é a responsável.

Eu não estou reclamando menina
Queria te cobrar todos os dias
Esse arrepio na barriga, esse coração acelerado,
Meus pensamentos e sonhos por ti.

E eu tímido poeta
Falo eu te amo baixinho
Só pra mim, não para o mundo.
Desculpa, sou egoísta.

Devia gritar, gritar ao mundo
Que eu te amo, que eu te quero.
Mas sou tímido
E falo baixinho pra mim mesmo.

Suspiro sim.
Ah... não nego que suspiro.
Sonho sim.
Ah... não nego que sonho contigo.

(Rod.Arcadia)


* * * * *
Paixão no corpo

sabe os poros do meu corpo?
eles estão apaixonados
vertem humores e suores
luzes e sois

sabe a pele que me recobre?
ela está alucinada
arrepia calores
constelações

sabe os lábios de meu rosto?
eles estão desesperados
desejam sabores
abluções

sabe a lascívia que me invade?
ela está açulada
desafia sensores e cores
corpos e lençois

Anorkinda


* * * * *
A quem se responde?.

A quem se destinam as respostas prontas
ou mesmo aquelas previamente digeridas?
A quem enganamos a cada frase imposta
e em toda sílaba vazia facilmente proferida?

A quem se responde com graça e leveza
as hipocrisias mais burras e fingidas?
A quem provocamos quando à mesa
as intenções são claras e desinibidas?

A quem se priorizam as definições
e os arremedos de boa-vida?
A quem importam as razões
se abrirmos a ferida?

Anorkinda


* * * *
O FARO DO CIÚME

É aleijado
o faro do ciúme
Ele troca
o certo pelo errado

É perturbado
o faro do ciúme
Ele evoca
as sombras do passado

É desritmado
o faro do ciúme
Ele toca
num compasso desregulado...

Um fado desesperado

Anorkinda


* * * * *

TRADUÇÃO

Busco abrigo no teu corpo
para fugir das amarguras.
Com os teus beijos
eu me embriago e esqueço
das topadas e dos tropeços
que eu dei pela vida...

Eu não queria jurar esse amor.
Eu não queria marcar essa aflição
e nem queria te passar o tormento
que vive no momento
o meu coração...

Eu queria só tomar
o meu café com pão...
E sentir-me feliz
depois do sol...
Eu queria esta luz
que me faz ouvir
e carregar minha bandeira:
Um lençol.

Eu queria pela noite
e madrugada
te encher de amor e fantasia.
Eu queria a liberdade
que minha alma pede
e traduzi-la em uma
Poesia.

A J Cardiais


* * * *
Re[leitura]!

O Universo é impermanente,
com suas galáxias e seus sóis,
seus planetas e estrelas...

O corpo humano, microsistema
do Universo, também é mutável.
A cada respiração, nova circulação.

No DNA está contido esta mutação,
tanto no DNA do Cosmo, quanto do Ser,
milimetricamente organizado a mudar.

Assim nossos conceitos são renováveis,
paradigmas interiorizados e encrustrados
devem ser modificados na hora certa...

Há um tempo de maturação e sabedoria
Em que o ser descobre-se falível...
Aí aguarda a conspiração do Universo.

O renovar-se é como a fruta verde,
que saboreada fora da época trava a boca...
Há tempo e lugar para nossos aprendizados!

Godila Fernandes


* * * *
Chaga Aberta!

OH! meu grande amor
se eu pudesse ser a estrada
Que me leva a voce, seria sempre assim
Cada vez mais voce em mim!

Como vou achar seu riso seus mistérios
Se a distância é constante dor
A nos levar
Pros caminhos do desamor?

Não se esconda desse meu desejo
Pois todo querer tem uma ponta de tristeza
E não seria amor, se não houvesse em nosso amor
Tanta grandeza

Te busco com paixão, não tema!
Pois todas minhas trilhas te pertencem
E todos os meus sonhos tem endereço certo
Residem na ilusão de ter voce mais perto!


Nice Canini



* * * *
Esperança

É otimista ,nunca é vã
Expectativa de sonho
A fantasia do pote de ouro
No final de um arco-íris
O esquecimento fugaz
Do que possa parecer tristonho

Como um ser que nasce
Uma flor que desabrocha
Numa realidade um tanto hostil
Há sempre o refrigério da esperança
Como um prenúncio da bonança


Eliane Thomas


* * * *
PARCERIA É TUDO DE BOM!

Acho muito bacana ler meus amigos(as)
me sinto, deveras orgulhosa
por estar nessa amizade tão gostosa
e quando eu os convido,a divagar comigo...


É porque sei, que suas inspirações...
irão voar nas asas das emoções
pois,embora não conhecendo(a fundo) seus corações...
somos amigos, e entre nós,(na poesia) não há limitações!


Não existe nada mais bonito
do que amigos em comunhão de ideais
é um momento tão bendito...
escrever com os parceiros virtuais...
chegam a se tornar reais!


VALDILENE D M da SILVA


* * * *
VIAGENS

Daqui, do alto dos meus olhos
acompanho o passar do tempo

Lento, na solidão
Veloz, na paixão

O coração não dá sossego
acelera, acelera, acelera...
...aquieta, aquieta, aquieta
no apego e no desapego

Daqui, do alto dos meus olhos
não abro mão do passatempo

lágrimas na separação
brilho na conjunção

o coração é coragem
não teme a faca afiada
não teme o silêncio e o vazio
se entrega a toda viagem

Daqui, do alto dos meus olhos
tudo vejo e nada falo, fico atenta.

Amélia de Morais


* * * *
BARULHINHO

você precisa dizer isso
verso indiscreto?

não basta ser
a corrente magnética
de fluir abissal?

de dentro para fora
toda palavra é mantra
que espalhada ao vento
rui desigual

haja ouvido que leia
tua forma abstrata
e quem tem boca fale
ô verso indiscreto...
ô verso indiscreto...

você precisa dizer isso
assim tão coloquial ?...


Nina Araújo


* * * *
Amor Irreverente

O amor é uma porção acesa
Encerra em si um brilho refulgente
Não se basta sozinho, busca sua presa...
Uma metade que o encante!

O amor é um fado cobiçado
Quem não gostaria de tê-lo?
Há coração que não sabe ser amado,
É que síndrome de posse, difere de zelo ...

Ah!.... Este amor que me consome e afoga
Que some e aparece sem que eu perceba
Que num piscar de olhos sempre me logra
E que me envia amores sem que eu receba.

Que fazer com este amor tão irreverente
Que diz ser livre como o vento e atento
Se fazendo na minha vida tão presente
Mas caminha sozinho com o passo lento.


É mesmo um grande amor incandescente
Que se apossa tomando conta do nosso ser
Que brilha e que queima a alma da gente.....

Diná Fernandes & Rosamel


* * * *
Minha criança

Sou mulher
De encantos
E desencantos
Rompi o véu
Da infância
E conservei
A criança

Sofrimentos
Eu passei
Tormentos
Eu vivi

Alegrias
Algumas senti
Invejas, ciúmes,
Provoquei.
Ternura
Um pouco experimentei.

Traições
Eu sofri.
Mentiras
Vivi, descobri,
Mas não menti.
Humilhação
Eu senti
Esperança, então,
Perdi.
E, perdendo a esperança,
Perdi a criança.

Foi então,
Que, ao te encontrar,
E, passando a te amar,
Tentei
A esperança recuperar...
Recuperando a esperança,
Renasceu minha criança.


Jane Moreira


* * * *
METADE DE MIM QUE ARDE

Nas vezes em que anseio o verso
impeço-o de andar ligeiro
o mote faz tudo que peço
maior do que um braseiro

Preciso tapar os ouvidos
quando ele traz novidade
nem sempre quero alaridos
para versar a verdade

metade de mim que arde
na astúcia dos poemas
vem dos receios que nego
quando os versos tem dilemas

(e ainda assim eu grito
com a acústica modulada)

um pouco para ser ouvida
pela minh'alma entocada.
um pouco para ser valente
e não ter medo de nada.


Nina Araújo.


* * * *
Memórias da Guerra (Parte I)

Prólogo

Em meio a fumaça cinza com um toque avermelhado
Em baixo de um céu que é testemunha
Vejo ferros retorcidos, destroços
Vejo corações calados, que gritam
Vejo o tempo congelado.

Em meio as ruas esburacadas
Vejo pertences abandonados
Abrigos
Vejo um rio frio
Rio de cartuchos que tiveram seus projéteis deflagados
Todos com nomes, um objetivo
Calar um peito inimigo
Um corpo latente a ser alcançado
Silenciando-o
Roubando-lhe sonhos.

Como o corte de uma navalha
Como quem tira o doce de uma criança
Como quem tira o amor e a esperança
Em troca de uma medalha.

André Anlub


* * * *
UM NOVO POEMA ?

Um novo poema
e as estrelas antigas.

Um novo poema
e lá está eu,
no galho da mangueira.

Uma novo poema,
a velha saudade...

Um novo poema,
meu entardecer com cãs.

Um novo poema,
os velhos sonhos na estrada.

Um novo poema,
o meu azul encardido.

Haveria mesmo
um novo poema?

DANNIEL VALENTE

.

Um comentário:

minhas parcerias disse...

Ola Kinda! Adorei ver minha aparceria com a Mel por aqui menina!

bjss!