Tópicos

terça-feira, 3 de agosto de 2010

POETISA JANETE DO CARMO!


SEM ARGUMENTO

Eu não nasci ontem
Já faz algum tempo
E mesmo assim
Sem nenhum argumento
Começam a me contar
Estórias da carochinha
Fazem questão de cantar
Até canções de ninar
E querem que eu acredite
Em papai-noel, fada e duende

Não sei se não enxergam
Mas tenho cabelos brancos
Porém não sou surda, nem cega
Tenho minhas desconfianças
E, também, tenho certezas
Entretanto, não venham me empurrar
Comidinha na boca
Com colher de plástico
Assoprando pra esfriar
Essa sopa de letrinhas

Mas vejam que interessante
Quando pedi um copo d'água
Me trouxeram na caneca
Penso que o melhor mesmo
É eu voltar a brincar de boneca

Janete do Carmo



AMOR SEM FIM

Hoje a canção foi ouvida
Em sintonia fina
Orquestrada pelo amor...

O piano fez seu solo
O coral acompanhou
Você me embalou no colo
Com seu jeito sedutor

Nesse teatro vivo
Por fim você revelou
A paixão que tem por mim
E embrulhou com uma flor

Muito bom é ser amada
Mais ainda amar, amar mais
É como uma peça encenada
Encerrar ninguém é capaz...

Janete do Carmo

.

Um comentário:

janete disse...

Obrigada pelo carinho Kinda! Você é um espetáculo! Beijos.