Tópicos

sexta-feira, 22 de outubro de 2010



PEQUENAS GRANDES PÉROLAS!



* * * * *

Memórias da rosa

Ainda posso sentir teu cheiro
E por mais que eu me banhe de dias novos

Aqueles dias não me saem da pele...
Replantei as margaridas
E tantas idas e vindas...

Mas no jardim floriu outras flores
Sinto tua presença na sua ausência
E aquele sorriso lindo
Ecoa firme e infindo dentro de minha saudade

Ah! A saudade das pétalas
Que deve sim! Sentir a Rosa
Quando é abandonada por elas a secar...

Do trono do caule
Ela apenas as observa voar
E chora, sei que chora!

Como choro eu...
Ao não te ver voltar.

Márcia Poesia de Sá


* * * *

Nós em silencio!

Deixe então seu silêncio
Gritar seu amor por mim
E com seu dedo ao vento
Risque e me dê um jardim

Me ofereça todas as flores
Me dê beijos no seu sonhar
Com carinho tire as dores
Em ação me faça acreditar

O mundo não precisa saber
Só meu coração, isso basta
Prometo que vou entender!

Mas fique aqui no meu canto
Ame, me deixe também amar
Me toque, e não precisa falar!


ღRaquel Ordonesღ



* * * * *

O Poeta

Semeador
de versos
estrelas

Ao compor
seu verso
em amor

O Poeta
universo
de sonhos

Acerta
universos
íntimos

Ao transpor
em versos
a ilusão

O Poeta
e seu verso
de amor

Afeta
inversos
sentimentos

Anorkinda



* * * * *

PUREZA

Deixa eu ser essa criança
Entregue a pipa e ao vento,
Esquecida num barquinho de papel.

Deixa eu ser essa criança
Parado na vitrine
De frente para o brinquedo.

Deixa eu ser essa criança
Que salta do útero
E depende do colo.

Deixa eu ser essa criança
Para que um dia na maioridade
Eu lembre de um cristal puro .

DANNIEL VALENTE


* * * * *

Um pedido

Assim te peço,
Desejo meu,
Peço-te teu amor

De todas as maneiras,
Sentir esse amor dentro de mim
Onde não haverá fronteiras

Nem barreiras que possa a alma
Viver livremente entre razão e coração.
Ah... Peço-te, desejo meu

Que você seja aquela maior estrela que brilha,
Que eu seja o seu sol pra te iluminar
E que você seja o farol dos meus olhos.

Ah... Peço-te.
Desejo meu,
Peço-te teu amor
E mais nada.

(Rod.Arcadia)


* * * *

ESTRANHA LIBERDADE

Descobri ser livre
No cativeiro de seus braços
Devolva-me seus abraços
E o sabor diverso
De sua boca...

Como louca, tentei fugir
Rumo ao abstrato...
Aos prazeres baratos
Que minh’alma
Não sacia.

Descobri ser livre
Presa ao seu corpo
Amor que sustenta
Realidade e fantasia...

Perdoa-me amor
A fuga em insensatez
E ilusão

Sou livre em suas mãos
E no aconchego
De seu regaço

Eu troco
Os sabores infinitos
Pelo universo definido
Desse amor que me apraz

Eu troco a errante liberdade
Pela felicidade
Que alimenta minha paz.

Liberta-me amor, com seu perdão
Perdoa-me, para que eu possa livre ser...
Devolva-me a estranha liberdade
De ser intensamente plena
Livre... Presa a você.

Mavie Louzada.


* * * *


Nós somos água!.

No principio tudo era apenas água,
viviamos nela e, como sabem, o amor...
Vibramos sempre amor, desde o menor
ao maior ser das água, do racional, ao
irracional, desde planctons a corais...

Através da água a maior energia é feminina,
por isto o amor expandiu-se entre os seres,
marinhos, ou de rios, ou cachoeiras, até o mangue.
Nosso povo sempre foi feliz e muito amoroso...
Sob a água, tínhamos guelras e pulmões.

Dono das água, das marés, dos ventos, da energia,
o Titão Posseidon flutua nas ondas do mar agitado,
geralmente seguido das ondinas que seguem por amor.
Posseidon é Netuno que com seu tridente salva ou afoga,
é o juiz das azuis águas e recebe de Deus as ordens.

As ondinas estavam prontas para serem mães,
filhos de Titã, com as ondinas, eram seres menos déicos,
mortais. Traziam no peito um coração ousado e apaixonado
Seguiam com suas pequenas nadadeiras presos à mãe,
a fim de serem preparados para futuras uniões de amor.

Os golfinhos eram mamíferos semelhantes as sereias,
pequenas baleias que transportavam elementais do mar,
até muito próximo ao ar, em brincadeiras ensinavam as
pequenos afrodites e sereias a abrierem os pulmões com ar.
E assim saltavam acima da água e como corcel fogoso voltava,

Formas transparentes feito mães d'água surgem.
Flanam além das águas,são biformes,água e ar,
amorosas conseguem alçar vôo afastam-se do nossos,
são seres menos apegados, mais independentes e egoístas,
Quando estão na água sentem saudades do ar e vice-versa.


As ondinas aprenderam a amar algo diferente, o luar,
sobre baleias singravam mares e passando maior tempo,
emitindo sons que era soprados de seus frágeis pulmões,
eram tão bonitas e os sons que aprenderam com golfinhos
e o cântigo das baleias, mais os delas, eram magia no ar.


A água foi sendo invadida pela terra e as nereidas felizes
passavam maior parte do tempo cantando junto a penhascos
rindo e fazendo brincadeiras com outros seres aquáticos
e assim levávamos uma vida sadia entre o mar e o ar...
Alguns elementos fromaram-se a partir da água: ar e terra.


Os elementos a partir da água resgatavam seres de água
e o transformavam pouco a pouco nos seres alados,de ar.
A Terra começa a tomar consciência de si e embeleza-se,
orna-se de flores e frutos dos mais vários e adocicados.
Surgem os amados elementais em cada um destes momentos.


E a partir daí o planeta estava pronto para receber almas,
o espírito em matéria, para evoluir, e dar ao Plano Divino,
a dimensão esperada, vivenciar a Terra e seus elementos,
onde haveria grande importância aos elementais que fariam
parte de suas respectivas mônadas e famílias espirituais.



E a Terra foi habitada pela família azul do Arcanjo Miguel.
Somos da mônada de Miguel e nossa evolução está perfeita,
estamos na transição final da Terra em Gaia, espírito elevado
logo, logo, ascensionaremos juntamente com ela a outra dimensão.
Somos a obra incriada do Criador, vivenciando a ilusão, o maia.

Godila Fernandes


* * * *

LIBERDADE ...

Eu não penso em visitar as estrelas
nem em ir ao mais fundo do mar
são coisas banais, canso de conhecê-las
por lá eu vivo a viajar...

Isso é fácil, estou sempre nalgum lugar
ou em muitos a qualquer momento;
estou nas estrelas, até no fundo do mar
vou aonde vai meu pensamento!

É verdade, tenho asas, não há contratempo
posso voar livre pela imensidão
mas quando quero descansar no tempo
pouso no teu coração...!

Rui E L Tavares



* * * *

VAZIO

Já não sei onde estou...
Se dentro
Ou fora de mim...
Por hora estou aqui
Não sei até quando ficar...

Não tenho casa
Nem lugar
Onde a paz predomine
Onde os sonhos possam
Livremente sonhar...

Já não sei onde estou
Se sou ou não
Daqui...
Se dentro
Ou fora de mim...
Aqui ou
Em outro lugar...

É vazio nunca preenchido
Saudade que não finda
Vontade de ir
Sem ter onde chegar.

Mavie Louzada.


* * * *

PARA QUEM ESTA CANÇÃO?

Para que deixar nascer o dia
O sol se põe , a noite é nova
E eu não fiz nossa canção ainda...

Para que dizer que é cedo ou não
O tempo é nobre, a rima é linda
E eu não fiz nossa canção ainda...

Poeta no amor, inspira a agonia
a lua se impõe e põe à prova
E eu ouvi a futura canção...

Poeta, a espera agora é finda
tua nova hora é bem-vinda
E eu ouvi a nossa canção...

Ela soou no aconchego do coração

Nina Araújo e Anorkinda

.

Um comentário:

BELA FLOR. disse...

Olá amei seu blog ,e deixo aqui o convite pra tb me visitar e me seguir em meu blog iniciante será um prazer,obrigado bjs.